GENES E HEREDITARIEDADE COMO COFATORES DO DESENVOLVIMENTO DE TRANSTORNOS OBSSESSIVOS COMPULSIVOS

VI Jornada de Medicina do Centro Universitário Aparício Carvalho – FIMCA / Psiquiatria e Saúde Mental, 25 a 29 de Outubro de 2021

Autores

  • Natália Lemos Martins Centro Universitário Aparício Carvalho - FIMCA
  • Jara Couceiro Soares Centro Universitário Aparício Carvalho - FIMCA
  • Flávia Brito Costa Centro Universitário Aparício Carvalho - FIMCA
  • Adriano Pontes Pereira Centro Universitário Aparício Carvalho - FIMCA
  • Alcione de Oliveira dos Santos Centro Universitário Aparício Carvalho - FIMCA

DOI:

https://doi.org/10.37157/fimca.v8i3.429

Palavras-chave:

Transtorno Obsessivo Compulsivo, genes, hereditariedade

Resumo

Introdução: O Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) é o quarto transtorno psiquiátrico mais frequente na população mundial, ficando atrás apenas de fobias, depressão e dependências químicas. Ademais, as principais causas do TOC são alterações neuroquímicas, fatores psicológicos como ansiedades e medos, e predisposição genética. Contudo, a hereditariedade tem se mostrado um aspecto relevante diante das pesquisas sobre o transtorno. Objetivo: Nessa perspectiva, o presente estudo busca promover uma saúde integral por meio de uma meta analise acerca do transtorno obsessivo compulsivo, e expor a importância de uma equipe médica estar preparada para a complexa pluralidade genética que pacientes com TOC apresentam. Metodologia: Foram utilizados os métodos de leitura crítica e de pesquisa bibliográfica. As buscas foram realizadas através das principais bases de dados de artigos científicos, como: SciELO, Google Scholar, PubMed, ScienceDirect, entre o intervalo de 2010 a 2021. Resultados: Pôde-se observar que, apesar das causas e fisiopatologia do transtorno obsessivo compulsivo – TOC, ainda não serem bem compreendidas, alguns estudos sustentam que existe um fator hereditário importante além dos mecanismos epigenéticos ligados à manifestação do TOC. Em virtude disso, pode existir uma ampla variedade de possíveis obsessões e/ou compulsões no mesmo ou em diferentes indivíduos. Ademais, análises de segregação também propõem uma influência poligênica significativa à expressão do transtorno obsessivo compulsivo, o que coloca os estudos epidemiológicos como elemento importante de prevenção e de tratamento. Conclusão: Portanto, o transtorno obsessivo compulsivo pode ser expresso através dos genes, tornando-se assim um cofator determinante por meio da hereditariedade na manifestação da doença. Desse modo, para que ocorra o correto diagnóstico do transtorno, as equipes médicas devem estar preparadas para além da anamnese tradicional, recorrerem também as características clínicas e ao histórico familiar do paciente. Logo, com o avanço das pesquisas científicas na área e com o direcionamento específico do corpo médico o diagnóstico e tratamento do transtorno obsessivo compulsivo será mais fácil e ágil.

Biografia do Autor

Natália Lemos Martins, Centro Universitário Aparício Carvalho - FIMCA

Discente do curso de Medicina do Centro Universitário Aparício Carvalho. Faculdades Integradas Aparício Carvalho – UNIFIMCA, Rua das Araras, 241, Eldorado, 76811678, Porto Velho, RO, Brasil

Jara Couceiro Soares, Centro Universitário Aparício Carvalho - FIMCA

Discente do curso de Medicina do Centro Universitário Aparício Carvalho. Faculdades Integradas Aparício Carvalho – UNIFIMCA, Rua das Araras, 241, Eldorado, 76811678, Porto Velho, RO, Brasil

Flávia Brito Costa, Centro Universitário Aparício Carvalho - FIMCA

Discente do curso de Medicina do Centro Universitário Aparício Carvalho. Faculdades Integradas Aparício Carvalho – UNIFIMCA, Rua das Araras, 241, Eldorado, 76811678, Porto Velho, RO, Brasil

Adriano Pontes Pereira, Centro Universitário Aparício Carvalho - FIMCA

Discente do curso de Medicina do Centro Universitário Aparício Carvalho. Faculdades Integradas Aparício Carvalho – UNIFIMCA, Rua das Araras, 241, Eldorado, 76811678, Porto Velho, RO, Brasil

Alcione de Oliveira dos Santos, Centro Universitário Aparício Carvalho - FIMCA

Docente do curso de Medicina do Centro Universitário Aparício Carvalho – FIMCA

Publicado

2022-05-17

Como Citar

Martins, N. L., Soares, J. C., Costa, F. B., Pereira, A. P., & Santos, A. de O. dos. (2022). GENES E HEREDITARIEDADE COMO COFATORES DO DESENVOLVIMENTO DE TRANSTORNOS OBSSESSIVOS COMPULSIVOS: VI Jornada de Medicina do Centro Universitário Aparício Carvalho – FIMCA / Psiquiatria e Saúde Mental, 25 a 29 de Outubro de 2021. REVISTA FIMCA, 8(3), XXVIII. https://doi.org/10.37157/fimca.v8i3.429

Edição

Seção

Resumos de Eventos / Conference Abstract